uma vez mamífera

… sempre mamífera.

Das contas que a gente não deveria estar fazendo

Ter filhos não é a chave da felicidade. Como namorar, noivar, casar, também não é. Nem encontrar o emprego dos sonhos. Nem viajar pelo mundo. Todas essas coisas podem fazer a vida bem bacana, mas nenhuma delas vai ser só alegria o tempo todo, porque nada é.

Anúncios
16 de janeiro de 2017 · Deixe um comentário

Outra educação é possível

Estive hoje de manhã na escola das minhas filhas para a conclusão do semestre, que incluía a apresentação dos trabalhos desenvolvidos nos grupos de estudos, ateliês, feira de ciências e … Continuar lendo

17 de dezembro de 2016 · Deixe um comentário

Das coisas tão mais lindas

Eles nascem pequeninos, vêm de dentro da gente, conhecendo das nossas entranhas, sabendo da gente por dentro. Chegam ao mundo nos cabendo inteirinhos por entre os braços, trazem consigo um amor que transborda do coração, tamanha a grandeza, a força, a imensidão, a boniteza.

26 de setembro de 2016 · 1 comentário

Sobre amamentar em tempos indóceis, ou: a arte de matar um leão por dia e (quem sabe no futuro) sair linda na foto

amamentar é bom pra c***lho, mas é quase sempre um processo de arregaçar as mangas, correr atrás, construir um vínculo, trabalhar muito pra chegar naquela foto linda, peito de fora, mãe sorridente, bebê plugado e a luz do sol entrando pela janela.

2 de agosto de 2016 · Deixe um comentário

Seu corpo, suas regras (e três pares de brinco)

Ontem pela manhã, aos 11 (as gêmeas) e aos 7 (a caçula) anos, minhas três filhas tiveram suas orelhas furadas. Por escolha própria. Decidiram, pediram, insistiram. Quiseram, e foram até … Continuar lendo

26 de julho de 2016 · Deixe um comentário

Sobre aquilo que a gente não deveria precisar explicar

“- Como é que eu vou explicar para o meu filho dois homens/duas mulheres se beijando??” Sugestão: “- Filhx. Aquelas pessoas se amam. Pessoas que se amam se abraçam, se … Continuar lendo

13 de junho de 2016 · Deixe um comentário

Das escolas que dão asas

  Ontem, no caminho para a escola, ouvi das minhas filhas mais velhas – gêmeas de onze anos – uma longa e apaixonada explanação sobre a vida e os feitos … Continuar lendo

1 de junho de 2016 · 2 Comentários